Araxá, 15 de Outubro 2019
Clima Agora
°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Saúde e Educação

Publicado em:25/06/2019
:: Saúde e Bem Estar :: Dieta low carb é alternativa para emagrecer mais rápido e com saúde
Diabéticos, resistentes à insulina severa, e pessoas com doenças neurológicas se beneficiam desse estilo de vida

Dieta low carb é o consumo de alimentos não industrializados e ultraprocessados

O universo da nutrição e da saúde é permeado por novas dietas e programas alimentares para objetivos como o emagrecimento. A dieta low carb, nesse sentido, busca ser mais atrelada a um estilo de vida saudável, sem lançar mão de fórmulas mágicas ou resultados impressionantes em um curto período de tempo, embora seja possível encontrar relatos de perdas acentuadas de peso com a utilização do cardápio de baixo consumo de carboidrato.

A base da dieta low carb é o consumo de alimentos não industrializados e ultraprocessados. Normalmente, esses alimentos possuem um alto índice de carboidratos, açúcar e outros componentes nocivos à saúde. Existem vários níveis de restrição de carboidrato, de forma que o praticante da dieta não precisa, necessariamente, cortar todos eles da alimentação, até mesmo porque essa tarefa é extremamente difícil, dada a quantidade de oferta de alimentos com esse macronutriente.

Restringir ou cortar refrigerantes, cerveja, doces, sucos ou sorvetes, bem como eliminar o consumo de grãos, bolos, pães, macarrão e biscoito são algumas das estratégias. O cardápio com baixo teor de carboidrato pode ter uma série de combinações. Em vez de consumir esses alimentos, os adeptos da lowcarb passam a consumir outros itens com alto valor nutricional, como vegetais de baixo amido, carnes (boi, porco, peixe, frango), frutas menos doces, oleaginosas, derivados do leite e gorduras boas.

Na internet, há diversos canais e perfis que falam sobre essa alternativa, com informações e relatos sobre a vivência dos próprios usuários. Eles compartilham como melhoraram a saúde e como emagreceram por meio desse novo estilo de vida. Também ensinam pratos e receitas com base nessa premissa de baixo carboidrato, além de demonstrar o modo de preparo. Mas, assim como qualquer assunto ligado à saúde e nutrição, o recomendado é procurar o apoio técnico com médicos e nutricionistas para saber como iniciar a lowcarb e como ela deve ser conduzida, sem prejuízos à saúde.

Diante de tantas informações sobre o tema, um grupo de especialistas resolveu criar uma associação para reunir dados científicos sobre a eficácia da lowcarb. O objetivo é fornecer segurança para aqueles que desejam consumir produtos com baixo teor de carboidrato.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira LowCarb (ABLC), existem muitas pessoas que se beneficiam desse estilo de vida, mas nem todas as pessoas precisam segui-lo.

“A maioria das pessoas saudáveis não precisa seguir um estilo de vida low carb. Para estas, o guia alimentar brasileiro fornece um excelente embasamento: evite alimentos processados e ultraprocessados e busque comer com uma variedade de alimentos minimamente processados”, diz. Para outras pessoas, por sua vez, a lowcarb proporciona um bem-estar aliado à manutenção de um peso adequado.

E ainda existe um grupo que se beneficia ainda mais da dieta. “Diabéticos, resistentes à insulina severa, e pessoas com doenças neurológicas seguem uma dieta cetogênica para as quais low carb não é apenas uma opção, e sim uma necessidade. As evidências dos benefícios do estilo de vida low carb no que tange à diabete, pré-diabete, síndrome metabólica, obesidade e sobrepeso, já vem se acumulando há muitas décadas na literatura científica”, explica.

Apesar disso, essa estratégia alimentar ainda é pouco adotada por profissionais da saúde, como educadores físicos, nutricionistas e médicos por falta de informação sobre o tema. A ABLC quer suprir essa lacuna, com informações de credibilidade para apoiar aqueles que precisam da dieta. Para tanto, além de produzir e distribuir conteúdo sobre o assunto, a associação pretende certificar produtos que estejam dentro de alguns critérios para serem considerados parte de uma alimentação lowcarb.

C/ Alice Bachiega
Estagiária em Link Building