Araxá, 15 de Outubro 2019
Clima Agora
°

Pesquisar

Você está em

Notícias

Cultura e Arte

Publicado em:26/06/2014
:: No Teatro Municipal :: Diogo Meira apresenta a peça Versos e Lembranças de um Boêmio em Araxá
Apresentação especial acontece à partir das 20h30 deste domingo no Teatro Municipal. Vale Conferir...

O ator Diogo Meira é natural do interior do Paraná

O Grupo Teatral Baú apresenta no próximo domingo, 29, à partir das 20h30 no Teatro Municipal de Araxá a peça Versos e Lembranças de um Boêmio. A entrada é gratuita. Vale Conferir...

Um homem assombrado pelos fantasmas do próprio passado. Um homem sem sombra e sem reflexo. Diogo Meira interpreta um boêmio viajante que narra sua própria trajetória numa envolvente historia de amor, traição e tragédia.

Versos e lembranças de um boêmio é uma mistura de teatro contemporâneo e romance com uma breve passagem pelo Absurdo. A união dos estilos culminou uma história que prende e surpreende o expectador da primeira à última fala.

Ao longo da apresentação o ator ainda interpreta poemas de autores consagrados da literatura brasileira, entre eles Castro Alves e Fernando Pessoa. O tempo todo interage diretamente com o público, criando uma relação direta e fraternal entre ator e expectador.

Segundo Diogo, a idéia inicial era criar uma espécie de “sarau”, com uma seleção de poemas nacionais, mas o desenrolar do processo culminou numa composição que destaca inclusive, vários trechos de autoria do próprio ator.

O ator

Natural da cidade de Cornélio Procópio, estado do Paraná, Diogo Meira iniciou no teatro aos 12 anos, ainda no ensino fundamental, em sua cidade natal. Há treze anos em Araxá, além dos trabalhos em companhias locais, também ajudou a fundar a Cia Apollo, com a qual desenvolveu trabalhos principalmente na área da comédia, levando aos palcos a peça, também de sua autoria, “Por favor, prendam minha cunhada”, vista com grande receptividade pela crítica local.

Viveu por dois anos na cidade de Goiânia, onde trabalhou com a diretora Letícia Luchezze no seriado Escola de Teatro, no qual interpretou Dário, um galanteador azarado que só entrava em roubadas em suas intrépidas investidas nas colegas de sala de aula.